DE TUDO VAI ROLAR

Dicas para curtir BH gastando (quase) nada! (By Ney Mourão) Siga o instagram: blogdetudovairolar – Aos Sábados, às 10h, 14h, 16h e 18h, dicas nacionais, pela RÁDIO 107 Ativa na Web (Baixe o aplicativo na Play Store ou ouça em https://www.radios.com.br/aovivo/107-ativa/65889)

Centro Cultural UFMG exibe filmes de animação de vários países do mundo

mostra mumia

O CineCentro do Centro Cultural da UFMG (Av. Santos Dumont, 174 – Centro) exibe até 19 de julho, às 19 horas, uma seleção dos melhores filmes premiados na 15ª edição da “Mostra Udigrudi Mundial de Animação – MUMIA” com entrada franca. Na programação serão apresentados 25 curtas metragens de animação.

Os filmes irão abordar estilos e técnicas variadas com produções mineiras, nacionais e de países como Alemanha, Bélgica e Letônia. A intenção é convidar o público a conhecer e se surpreender com a produção do cinema de animação contemporâneo.

Realizada desde 2003, em Belo Horizonte, a Mostra Udigrudi Mundial de Animação é reconhecida como um evento consolidado entre os festivais de cinema e vídeo no Brasil e integra o calendário turístico da cidade. Anualmente a mostra exibe mais de 200 filmes vindos dos cinco continentes. Países como Chile, Colômbia, Equador, Estados Unidos, Finlândia, Armênia e Portugal já receberam mostras especiais de filmes brasileiros através de parcerias com a MUMIA.

PROGRAMAÇÃO

PROGRAMA 1 – 06/07 e 19/07/18
Nimbus, o caçador de nuvens – Marco Nick 16’45” – Belo Horizonte – 2016.
Numa pequena vila rodeada por uma densa floresta há um pequeno habitante conhecido como Nimbus, o Caçador de Nuvens, um garotinho esforçado que é capaz de materializar seus sonhos em belos balões que flutuam todo o tempo. Quando uma grande tempestade toma conta do vilarejo, Nimbus precisa iniciar uma fantástica aventura pela floresta para capturar as grandes e furiosas nuvens.

A Doida – Svetlana Filippova – 2’45” – Belo Horizonte – 2017.
Baseado no conto homônimo de Carlos Drummond de Andrade.

A Primeira Flauta – Simon Brethé e Ricardo Poeira – 3’47” – Belo Horizonte – 2017.
Uma fábula visual sobre a origem da música. O filme exalta a ancestralidade da música como forma de expressão humana capaz de criar e fortalecer vínculos entre pessoas.

As Aventuras do Chauá – Alunos da Escola Municipal Santo Antônio do Norte/Projeto Animação – 4’ – Aimorés.
O filme apresenta um alerta sobre a importância da preservação ambiental e do Papagaio Chauá, espécie nativa da Mata Atlântica, ameaçada de extinção.

Quando os dias eram eternos – Marcus Vinícius Vasconcelos – 12’50” – São Paulo – 2016.
Filho retorna à casa para cuidar da mãe em seus últimos dias de vida.
Caminho dos Gigantes – Alois Di Leo – 12’ – São Paulo – 2016
Em uma floresta de árvores gigantes, Oquirá, uma menina indígena de seis anos, vai desafiar o seu destino e descobrir o ciclo da vida.

PROGRAMA 2 – 10/07/18
Tango – Francisco Gusso e Pedro Giongo – 12’30” – Curitiba – 2016.
Após anos de seca, uma batata mística brota nas distantes nascentes do Rio Aiatak. Em breve, tudo estará preparado para o grande ritual de Tango. Para o povo, este é o início de uma nova era.

Animais – Guilherme Alvernaz – 12’40” – São Paulo.
Em um ambiente devastado, os humanos vasculham como animais que lutam pela sobrevivência. Em sua jornada, macacos, elefantes e leões se encontram em um experimento visual em animação.

Child – Iring Freytag, Viktor Stickel e Linus Stetter – 9’12” – Alemanha – 2016.
Uma criança tem que deixar sua cabana para pegar lenha para o fogo que apagou. A busca pela madeira certa transforma-se em um trabalho de vida.

Millie – Israel Dilean – 5’11’’ – Belo Horizonte – 2016.
Um monstro pesadelo entra no quarto de uma menina para atacá-la e seu urso de pelúcia luta o quanto pode para protegê-la.

Oceano – Renato Duque – 15’40” – São Paulo – 2016.
Luna vê alguém se afogando no oceano e desde então passa a se questionar: deveria usar seus poderes e tornar-se uma super heroína?

PROGRAMA 3 – 12/07/18
Lucky – Kirsten Carina Geißer e Ines Christine Geißer – 11’ – Alemanha – 2015.
“Sortudo” está procurando a felicidade. Este curta animado questiona nossa busca e também seu objetivo: que a sorte significa para o indivíduo? O fracasso é a única possibilidade?

Sayounara – Débora Mini – 4’40” – Belo Horizonte – 2016.
Sayuri e Yasuo traçam sua história de amor, mostrando que a vida pode se tornar frágil mediante situações inesperadas.

Fonte da Tristeza – Samira Daher – 4’20” – Belo Horizonte – 2017.
Uma história inspirada na cantiga de roda “Fonte do Tororó”, de Cliver Honorato.

O projeto do meu pai – Rosária – 5’40” – Vila Velha/ES – 2016.
Eu tenho um amigo que diz que a gente precisa desenhar uma mesma coisa mil vezes, até ela ficar do jeito que a gente acha que é.

Aaaaaaaaahhhhhhhhhhhhhh – Ramon Coelho Braga – 2’- 2016.
AAAAAAAAAAAAAaaaaaaaaaaAaAaAAAAaaaaaaAAAAAaaAaAaaaaaaaaaaAAAaaAaaAaaaaHHHHhhHhHhHhHhhHhhhhh!!!!!!!

Cheiro de pitanga – Jackson Abacatu – 2’35” – Belo Horizonte – 2017.
Um passeio em tons escarlates. Sensações de quem passa e fica. Videoclipe em stop motion (pixilation) da música Cheiro de pitanga, do grupo JazzMim.

Marcellas – Marcella Furtado / Regina Resende Barroso / Silvano José de Faria Júnior / Tomás Gobbo Lopes – 2’31” – Belo Horizonte – 2014.
Palitos de fósforo repousam tranquilamente em sua caixinha quando veem o fim se aproximar, ao serem chamados a cumprir seu destino. Na tentativa insistente de um homem em acender uma vela, os palitos vão sendo arrancados de sua casa e passam por momentos de dor e desespero antes do trágico e inevitável fim.

O Mal – Carlon Hardt – 2’11” – Curitiba – 2016.
Videoclipe de “O Mal”, música de Dante Ozetti e Arrigo Barnabé, interpretada por Juliana Cortes. O filme retrata, através de stop motion realizado com recortes e colagens, o surreal na perda da inocência e na sedução pelo proibido.

PROGRAMA 4 – 17/07/18
Homus Erectus – Rodrigo Burdman – 2’15” – 2009.
Homo Erectus é uma animação baseada no conto/poema de mesmo nome do escritor Marcelino Freire. Ele é parte do livro BaléRalé. Ele foi totalmente feito a mão durante três meses. A leitura é de Paulo Cezar Pereio e ele gravou tudo numa tacada só!

A fuga – Douglas Alves Ferreira – 10’ – 2015.
No antigo Egito, o exército Romano está conduzindo seus mais recentes prisioneiros de guerra pelo deserto. Inconformado um menino tenta fugir de seus captores.

O violeiro fantasma – Wesley de Oliveira – 6´50” – 2017.
O Violeiro fantasma com o som de sua viola apresenta um sertão mágico e psicodélico através da poesia de cordel.

O sino de Montebelo – Fernando Ferreira Garroz – 4’44” – 2016.
No dia de Natal, o badalar do sino da majestosa torre da igreja de Montebello evoca várias recordações na mente de um homem, em especial a lembrança de uma mulher, Gina. Adaptado de um conto de R. F. Lucchetti, mestre brasileiro da pulp fiction e do terror.

Diário de Areia – Isadora Morales Chavez – 6’ 26” – Belo Horizonte – 2017.
Erin é uma menina de 15 anos que foi escolhida como a Guardiã dos Pesadelos. Sua missão é purificar os pesadelos que escapam para o mundo humano e proteger a humanidade de seus medos mais profundos, dia e noite, sem descanso!

O conto do burro amarelo – Daiana Mendes – 30’ – Contagem – 2017.
O conto do burro amarelo é um filme híbrido que circula entre documentário, ficção e animação direta em película 35 milímetros. No processo de realização o curta testa a teoria do risco do real de Jean Louis Comolli e a teoria de Jean Rouch.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

Informação

Publicado às 9 09America/Sao_Paulo julho 09America/Sao_Paulo 2018 por em Cinema e marcado , , .
%d blogueiros gostam disto: