DE TUDO VAI ROLAR

Viver e Curtir a cidade, gastando pouco ou quase nada! (By Ney Mourão) Siga o instagram: blogdetudovairolar – Aos Sábados, às 10h, 14h, 16h e 18h, dicas nacionais, pela RÁDIO 107 Ativa na Web (Baixe o aplicativo na Play Store ou ouça em https://www.radios.com.br/aovivo/107-ativa/65889)

“O Grande Golpe”, filme de Kubrick, terá exibição GRATUITA no Centro Cultural da UFMG

Filmes clássicos e imortais como O Iluminado, Laranja Mecânica, 2001-Uma Odisseia no Espaço, Nascido para Matar ou De Olhos Bem Fechados, todos levam a marca do diretor Stanley Kubrick. Um lado que talvez muitos desconheçam foi sua contribuição à narrativa noir. O policial de suspense “O Grande Golpe” é uma obra que merece ser vista. Um dos grandes momentos do cinema.

o grade golpe.jpg

Kubrick dirigiu O Grande Golpe quando tinha apenas 27 anos, mas já demonstrava o talento inovador que viria a desabrochar totalmente a partir do filme Dr. Fantástico, de 1964. Embora os elementos clássicos de um típico filme noir da década de 40 estejam lá – a figura de um narrador, criminosos e fracassados como protagonistas, a ação centrada em torno de um crime, a mulher fatal, o uso do preto e branco – o diretor acrescentou algumas mágicas narrativas e técnicas que tirou de sua cartola. A mais notável diz respeito à estrutura do roteiro, não-linear, com idas e vidas, mostrando uma mesma cena pelo ponto de vista de diferentes personagens. Hoje, esta técnica já foi explorada por outros diretores –  Pulp Fiction, de Quentin Tarantino, por exemplo – mas em 1956 esta inovação não foi vista com bons olhos pelo estúdio, que achava que o público não iria entender a história. Ainda bem que ele se recusou a modificar o filme – exigência feita pelos produtores, que ele não aceitou.

Neste O Grande Golpe, acompanhamos a história de Johnny Clay (Sterling Hayden) , que depois de passar cinco anos na prisão, resolve aplicar um último golpe para garantir seu futuro e abandonar a vida de pequenas contravenções. O plano é assaltar o jóquei no dia de um grande prêmio. Para concretizar sua ideia, ele reúne comparsas e ajudantes, que se beneficiarão ou não do fruto do roubo, incluindo dois empregados do jóquei e até mesmo um policial – um pequeno detalhe de cinismo bem típico do filme noir.

O filme será exibido em sessão GRATUITA nesta terça-feira, 22 de maio, às 19 horas, no Centro Cultural da UFMG (Avenida Santos Dumont, 174 – Centro). 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às 21 21America/Sao_Paulo maio 21America/Sao_Paulo 2018 por em Cinema, Sem categoria e marcado .
%d blogueiros gostam disto: