DE TUDO VAI ROLAR

Viver e Curtir a cidade, gastando pouco ou quase nada! (By Ney Mourão) Siga o instagram: blogdetudovairolar – Aos Sábados, às 10h, 14h, 16h e 18h, dicas nacionais, pela RÁDIO 107 Ativa na Web (Baixe o aplicativo na Play Store ou ouça em https://www.radios.com.br/aovivo/107-ativa/65889)

Coral Ars Nova apresenta-se no Conservatório de Música UFMG

No dia 12 de setembro, terça-feira às 19h30, o Ars Nova Coral da UFMG é a atração do projeto Conexões Musicais do Conservatório de Música UFMG (Av. Afonso Pena, 1537 – Centro). O coral apresenta o concerto Federico García Lorca e Amigos. O repertório inclui obras de autores estrangeiros e brasileiros, dentre as quais constam a Ave Maria de Franz Biebl e a Sabiá Coração de uma Viola de Aylton Escobar. Além disso, também serão interpretados, na parte final do concerto, sete poemas de García Lorca musicados por Mario Castelnuovo-Tedesco em 1951. Esse encerramento contará com a participação especial do violonista Celso Faria.

ars nova

Foto: Duda Bona

A apresentação é GRATUITA!

Programa

Franz Biebl (1906 – 2001)
Ave Maria 1964
Éste um moteto originalmente escrito para vozes masculinas. O austríaco Biebl utilizou
o texto da Ave Maria e um trecho do Angelus, a saudação do arcanjo Gabriel a Maria. O
próprio compositor escreveu esta versão para coro misto.

Trond Kverno (1945)
Ave Maris Stella 1976
O texto de Ave, Estrela do Mar tem a origem e autoria difíceis de precisar, como muitas
orações medievais. A liturgia católica saúda Nossa Senhora como “Estrela do Mar”,
porque ela é a estrela mais brilhante, a mais alta a que guia os navegantes em meio à
escuridão. O sueco Trond Kverno escreveu este moteto para dois coros, masculino e
feminino.

Heitor Villa-Lobos (1887-1959)
Duas Lendas Ameríndias em Nheengatu 1958
1. Iurupari e o Menino
2. Iurupari e o Caçador
Esta uma obra raramente executada, apesar do idioma do texto ser em Nheengatu,
derivado do tupi, tão presente no dia a dia dos brasileiros. Iurupari é uma entidade,
comparada ao Saci na mitologia Tupi. É o ser que faz artes, que provoca e que se
diverte às custas dos erros humanos. O mundo musical este ano celebra os 130 anos do
maestro Villa-Lobos e o Ars Nova presta aqui a sua homenagem.

Carlos Alberto Pinto da Fonseca (1933-2006)
Ponto de Oxum-Iemanjá 1965
Esta é uma obra rica pelo aspecto rítmico e inovadora: as vozes masculinas imitam o
som de tambores, acompanhando uma melodia tradicional da Umbanda. O texto lembra
o sincretismo religioso e no início saúda Iemanjá como a Rainha do Mar.

Aylton Escobar (1943)
Sabiá Coração de uma Viola 1971
Esta obra foi escrita para ser peça de confronto no II Concurso de Corais Escolares da
Guanabara, Ela mistura a canção brasileira com a marcha rancho e apresenta uma série
de desafios para o coro que alterna partes rítmicas cantadas, com acompanhamento de
palmas sincopadas.

Mario Castelnuovo-Tedesco (1895-1968)
Romancero Gitano, para coro e violão, opus 152 1951
1. Baladilla de los Tres Ríos
2. La Guitarra
3. Puñal
4. Procesión/Paso/Saeta
5. Memento
6. Baile
7. Crótalo.
Violão: Celso Fari

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado em 11 11America/Sao_Paulo setembro 11America/Sao_Paulo 2017 por em Sem categoria.
%d blogueiros gostam disto: